sábado, 30 de junho de 2007

Poesia: FALTAM-ME PALAVRAS




FALTAM-ME PALAVRAS


Faltam-me palavras
Atônito
Paralisado diante das letras
Que saltam do papel aos meus olhos
E as letras dançam, ganham vida
Soam deliciosamente aos meus ouvidos
Perfumam o ar
Inebriam todo meu ser
Flutuo, levito
Torno-me um anjo
Um pássaro de grande envergadura
E alço vôo no céu anil
Despido de nuvens
Colorido pelo astro rei.
Coração a batucar
Em ritmo de samba, em ritmo de bateria
Em ritmo único e particular
Palavras simples que dizem tudo
Que sussurram com sotaque arrastado
Com malícia e jingado
Com jeito moleque
Coração dançarino
Ao som de nova melodia.

(RLBF - junho 2007)


4 comentários:

Patrícia H. disse...

Eu acho mesmo que as letras têm todas vida própria, são donas de si, dançam e cantam o que bem entendem e acabam sempre deixar a gente assim sem ação diante delas.
Viram as letras bichos-palavras e comandam papéis e sonhos.

Abraços

Flávia disse...

É as palavras dançam...
Ás vezes é complicado encontrar uma parceira que faça esse baile - que é escrever - valer a pena!

Lindíssimo poema!

Abraços e uma boa semana!

Fernanda disse...

Também adorei o poema...e essa jóia é a minha cara, riso!

Daniele disse...

poxa foi vc que escreveu?
bacana!