segunda-feira, 11 de junho de 2007

Professor em fim de semestre

Hoje dei minha última aula de Direito Financeiro para uma turma de 5o. ano na Universidade Paulista (UNIP). A vantagem de dar aula para o último semestre de um curso de direito é a chance de fazer um discurso de encerramento. Eu sempre faço. O discurso é o fechamento do ano, o fechamento de um ciclo de convivência com os alunos. Alunos que depois de formados passam a ser colegas e amigos. Depois de 9 anos dando aulas no ensino superior ainda não me acostumei em ser chamado de Professor. Sinceramente não me acho digno do título.

Porém, algo de inusitado aconteceu hoje na aula. Enquanto falava - foram 5 ou 10 minutos - percebi algo de novo. Pela primeira vez notei olhos marejados e duas mulheres chorando. Fiquei tocado com a reação, pois nunca tinha despertado emoção nos ouvintes. Marcou-me. E vou lembrar desta última aula com carinho. Diria que a reação só aumenta a minha responsabilidade como docente, pois a matéria que leciono é muito chata, mas enfrento o desafio com paixão. Acho que isto falta a muitos professores universitários: despertar, nos alunos, a paixão pela matéria lecionada.

Os mestres que me marcaram ao longo da vida eram assim, apaixonados pelas disciplinas que davam.

4 comentários:

Edna Federico disse...

Às vezes um professor marca nossa vida e nem tem consciência disso.
Ainda me lembro com muito carinho de alguns professores meus.
Se você conseguiu despertar essa emoção e isso o tocou, pode ter certeza que essas pessoas também sempre vão lembrar de você.
Parabéns por exercer uma profissão tão bonita!

Fernanda disse...

Ensinar é um dom e ensinar com emoção, é tb aprender.
Conseguimos aprender com a emoção e sentimentos de outras pessoas e se vc consegue passar isso a seus alunos, é algo que eles carregaram para sempre.

Morena disse...

Somente um homem sensível como vc pode perceber isso. Continuo fã incondicional das Palavras. Elas transformam...

Beijocas

Kátia Barros

Fernanda disse...

Nossa, escrevi errado, o certo é carregarão, sorry.