domingo, 24 de junho de 2007

Poesia: Vinicius de Moraes

EXTENSÃO

Eu busquei encontrar naextensão um caminho
Um caminho qualquer para qualquer lugar.
Eu segui ao sabor de todos os ventos
Mas somente a extensão.

Chorei. Prostrado na terra eu olhei para o céu
E pedi ao Senhor o caminho da fé.
Noites e noites foram-se em silêncio
E somente a extensão.

Quis morrer. Talvez a terra fosse o único caminho
E à terra me abracei esperando o meu fim
Porém tudo era terra e eu não quis mais a terra
Que era a grande extensão.

Quis viver. E em mim mesmo eu busquei o caminho
Na ansiedade de uma última esperança
Eu olhei - e volvi à extensão desesperado
Era tudo extensão.

Tudo neles é a paralisação da dor no paroxismo
Tudo neles é a negação do anjo... ...são os Inconsoláveis

- Águias acorrentadas pelos pés.

(As Coisas do Alto. São Paulo : Companhia das Letras, 1993, p. 33)

Águias são seres que voam alto, um vôo suave, artístico. Certa vez tive a oportunidade de presenciar uma águia de cabeça branca, a famosa Bald Eagle, símbolo dos EUA, voando livremente na natureza. É um espetáculo único. Uma pintura de asas que desenha curvas e linhas no céu.

Somos como águias e devemos voar, não rastejar. Alçar vôos em busca de objetivos altos e nobres, objetivos e sonhos arrojados. Cortemos as correntes que nos amarram e voemos como águias.

3 comentários:

Edna Federico disse...

Puxa, deu pra imaginar a cena da águia voando...deve ter sido lindo!
Concordo, devemos alçar vôo...só assim se chega ao topo!

Ácido Poético disse...

Muito bom esse seu espaço também. Estarei sempre por aqui, se o tempo me permitir.

Um abraço
Brunø

Fernanda disse...

Voar sempre!