quarta-feira, 27 de junho de 2007

Antes de mudar de assunto

Não vou continuar a bater na mesma tecla e parecer ranzinza. Não vou afugentar os leitores, mas antes de mudar de assunto, e depois de ter lido todos os comentários, vou concluir o que comecei no último post.

O Brasil tem mais uma oportunidade para crescer e acelerar o desenvolvimento econômico. O modelo a ser seguido é o chileno, e não o venezuelano, boliviano ou argentino.

Aparelhar o Estado com o inchaço da máquina pública, criação de cargos de confiança e possibilidade de empregar companheiros só vai levar ao aumento do gasto do público pressionando a necessidade de maior receita. Traduzindo: aumento de carga tributária, a perenização da CPMF (que de provisória só tem o nome) e socialização dos custos previdenciários com aumento das contribuições.

O Brasil não precisa pensar em salvar o Mercosul, o Brasil tem que adotar uma política externa de seu interesse e não de interesse dos outros. Acordos bilaterais vão ajudar o país a crescer e a gerar riqueza. Só que os nossos líderes ainda olham para a área externa como se estivéssemos no século passado.

Prometo voltar - hoje ainda - com assuntos mais interessantes e menos indigestos.

5 comentários:

ainda não sei disse...

ranzinza nada! eu que passei uma semana reclamando.

olha, nem tenho comentado pra não falar besteira porque (que vergonha!) não entendo quase nada de política, mas leio religiosamente seu blog, assim aprendo tb.

Mais tarde eu volto, então

Fabiola disse...

Renato:

Não entendo muito, para dizer que é quase nada, no que tange a economia. Mas vou dizer uma "coisa" o Brasil não da para seguir o Chile pq somos muito mais robustos que eles.

Tb não quero a Venezuela ou Argentina, acho que temos que nos encaixar. Mas me pergunto mesmo se é interesse de alguem que este pais de certo. Nem a gente consegue não é?

Coca disse...

Eu entendo. Entendo INCLUSIVE porque o aparelhamento e o inchaço da máquina pública... O Dízimo do PT. Mais "cumpanheirada" nos cargos mais dinheiro para os Delúbios comprarem os "nada venais" congressistas. Hai que se gerar vebra para o mensalão, ou o inocente "povo do meu Brasil varonil" acha que acabou ? Há...

Não é um plano de poder, é um plano de se manter no poder, custe o que custar.

Isso assusta.

Renato Bueloni Ferreira disse...

Vou responder por aqui.

Simone - pode palpitar. Aqui ninguém fala besteira, mas diz o que pensa e acha.

Coca - concordo integralmente com vc.

Fabiola - em parte concordo com vc. A população do Chile é menor do que a população da Cidade de São Paulo e a economia do país é muito menor que a brasileira. Mas o modelo chileno - o governo é socialista - priorizou o livre comércio, a abertura econômica, a reforma da previdência e da legislação trabalhista. O Chile é um país moderno.
Acho que o Brasil sofre de uma síndrome de coitadinho. Soui da opinião que parte das pessoas responsáveis pelo país não dar certo são brasileiros mesmos, vulgo coronéis da política e que tem currais eleitorais em regiões pobres do país. A culpa não é do exterior, a culpa é nossa mesmo.

ainda não sei disse...

eu acho que estão colocando em prática os planos de Pink e o Cérebro. Pior: temo que esteja funcionando. Mas eu sou brasileira e não desisto nunca (de acreditar)