domingo, 8 de abril de 2007

Recomeçar na Páscoa

Depois de alguns dias ausente por motivos profissionais e de uma viagem a Ribeirão Preto por motivos familiares, retorno ao blog. Já estava com síndrome de abstinência.

Fiquei impressionado no mar verde de cana-de-açúcar que se estende de Campinas (a 100km de São Paulo) até o interior paulista. Chega-se a Ribeirão Preto (a 300 km de São Pualo) passando por uma estrada cercada de cana e mais cana. O novo ouro verde do Brasil.

Minha última viagem a Ribeirão Preto havia sido em novembro de 2003, quando fui ao casamento de minha ex-sócia. Naquela época era uma amiga em quem confiava cegamente e com quem dividia a labuta diária no escritório. Um ano depois levei uma puxada de tapete e pude sentir na pele como uma mulher pode facilmente iludir um homem. Fui iludido e enganado. Reconheço que nunca suspeitaria que o que aconteceu, pudesse ter acontecido. Recomecei com uma nova sócia e a vida seguiu em frente.

Agora, na Páscoa, mais uma vez é preciso encontrar forças para recomeçar, com esperança renovada e muita fé. As festas religiosas são um excelente momento para refletir e reconhecer nossa fraqueza, nossa necessidade de pedir ajuda divina e de confiar na sua Providência.

Nesta tarde fresca e chuvosa, em que um arco-íris brindou o final do dia, pude descansar da correria destes últimos dias e renovar as forças para recomeçar a luta diária no escritório. A Páscoa é sempre um ótimo momento para recomeçar.

Acabei de ler A Trégua nestes dias e tenho muitos posts rascunhados. Gostei muito do livro e nos próximos dias quero incentivar o debate. Digo isto com um aspecto especial. O livro parece refletir a ótica masculina de um relacionamento. Identifiquei-me com o personagem principal em vários momentos. Por outro lado, noto que a maioria dos comentários vêm de leitoras. Gostaria realmente que alguma de vocês lesse o livro para que pudéssemos fazer uma comparação dos pontos de vista. Não quero tomar partido com Mario Benedetti, pois discordo de algumas de suas posições, mas creio que poderíamos ter um interessante debate neste blog sobre o relacionamento partindo de óticas diversas.

Alguém se aventura?

Um comentário:

Fernanda disse...

Renato,

Feliz Páscoa para você!
Realmente a vida muitas vezes nos dá tombos e temos desilusões com pessoas que nunca imaginaríamos, também já passei por isso.
Mas, vamos aprendendo!
Tenho certeza que você irá se levantar e recomeçar com sucesso.
Não sou uma pessoa religiosa ao ponto de frequentar a igreja todos os domingos, mas fui criada, batizada, casada, batizei meu filho e sigo a religião católica, mas o mais importante: acredito em Deus! Por isso tem uma frase que sempre repito nos meus momentos difícies: "O Senhor é meu pastor e nada me faltará!"
Pense assim também.
Bom, você lançou um desafio, riso...e tomei-o para mim, com direção certa, pois como sou a que mais comento por aqui e sabatinei-o em um post anterior, acho que você tomou as dores masculinas.
Desafio aceito, meu caro!!!!
Vou ler e se prepare, pois já percebeu que escrevo muito, sou meio sem freio.
Só irei acabar de ler um livro, que comprei ontem e que talvez seja uma ótima indicação à você e depois vou comprar o indicou.
Boa noite.

Fernanda