sábado, 21 de abril de 2007

Palpiteiro de fim de semana.

Depois de uma semana frenética e de muito trabalho, aproveitei este começo de sábado para ler o Estadão com calma e ver a temática das revistas semanais. Esta semana foi rica em fatos importantes, mas parece-me que ficamos alheios aos acontecimentos que nos afetam de forma indireta, provavelmente por estarmos muito centrados no nosso mundinho.

Destaco 3 acontecimentos e neles vou palpitar, ainda que brevemente.

1. Microsoft anuncia que venderá Office a preços camaradas.
Finalmente a empresa de Bill Gates fica com medo de alguém. Por isso é que sou fã do Google! Acho um absurdo o valor cobrado pelo Office. Acho um absurdo o valor cobrado pelo Windows. Não defendo a pirataria e não tenho softwared pirata nas minhas máquinas, mas tenho certeza de que a pirataria diminuiria se a Microsoft reduzisse o preço que cobra dos seus softwares.

Já disse isto aqui antes e vou repetir: a Apple e seu Mac avançam no mercado e isto assusta a Microsoft e o domínio dos PCs que rodam Windows. Agora a Microsoft se preocupa com os concorrentes do Office. Não se surpreendam se começar um novo ciclo na informática, com a descendência do domínio da Microsoft.

2. Nova operação da Polícia Federal e o Judiciário.
Ontem a PF realizou a Operação Themis em São Paulo e "visitou" alguns magistrados federais e desembargadores federais em seus gabinetes para dar uma olhadinha em documentos e computadores. Na semana passada, 3 haviam sido presos no Rio de Janeiro.

Estou achando lindo a prisão de juízes E advogados corruptos. Sim, incluo os advogados nesta lista. Na vida diária profissional, é comum aparecer algum cliente e perguntar se o outro advogado não tem influência no Tribunal ou se eu conheço alguém que tem acesso ao juiz ou desembargador. Parece corriqueiro e usual que todo juiz seja venal. Isto não é verdade, mas o sentimento comum da população. Já perdi clientes porque me recusei a lidar com pessoas que supostamente teriam formas de facilitar uma decisão judicial. Recuso-me a fazer isto. Não troco minha coerência e ética por dinheiro algum no mundo.

Uma vez me perguntaram se não defenderia o PT ou se prestaria serviços ao PT. Disse que jamais. Nem por 1 milhão de reais de honorários. Nem por 100 milhões respondi. Advogar para o PT ou a alguém ligado ao PT seria negar todo meu passado, e isto, eu não faço.

Esperemos que estas operações não terminem em pizza e que isto sirva para moralizar a conduta de advogados que vivem vendendo facilidades para pessoas que também não tem escrúpulos. Chegou a hora de começar a mudar isto.

3. Atirador de Virginia Tech
Aqui a coisa fica mais complicada. O acontecimento foi trágico. Provavelmente livros serão escritos sobre os problemas psicológicos do atirador, da forma como a sociedade americana discrimina e separa as pessoas, da atitude da NBC de divulgar as imagens, da negligência da universidade em responder de forma mais rápida ao caso. Enfim, há muito o que falar.

Então, vou dar o meu palpite. É preciso entender que nas escolas americanas há uma separação muito clara entre aqueles que são "cool" e "popular" e aqueles que são "geeks" ou "nerds" para usar uma expressão mais antiga. Os grupos não se misturam e isto gera um exclusão social muita clara e aberta. Estrangeiros são discriminados sim.

Morei 4 anos nos EUA e fiz grande parte do colegial (hoje Ensino Médio) no Estado de Michigan. Eu sentia na pele a discriminação. Gozações, piadinhas racistas e outras coisas mais. É duro, muito duro para um moleque de 15 anos enfrentar isto. Para mim, foi motivo de amadurecimento. Mas para outras pessoas, o resultado pode ser devastador e nefasto. Isto aconteceu com o atirador.

A maioria destes frenesis e ataques armados feitos por alunos nos EUA é consequência desta exclusão que ocorre nas escolas americanas. É a luta de classes entre os geeks e os jocks, ou seja, os tachados de bobos e os gostosões dos atletas. Não me entendam mal, não estou dizendo que se implantou a dialética marxista na sociedade americana, mas o que se nota é quase uma reação armada daqueles que se sentem desprezados e são tratados como invisíveis por um outro grupo que se acha superior.

Não esqueçamos que isto não é privilégio dos EUA. Por aqui, também tratamos algumas pessoas como invisíveis, mas isto é tema para outro post.

4 comentários:

Fernanda disse...

Realmente a semana foi cheia de acontecimentos e infelizmente temos que dizer, a maioria notícias tristes!
Fico abismada como cada vez mais esse tipo de coisa, do atirador, acontece nos EUA...
Concordo com o que vc falou sobre a discriminação, o preconceito, as gozações. Nunca passei por isso, mas imagino o estrago que isso pode causar num adolescente.
Mas, queria levantar um outro ponto aqui, olhar a questão tb sob um outro prisma. Acho que se a criança, o adolescente tiver uma família que lhe passe amor, segurança e confiança, esse tipo de coisa pode ser minimizado e ele conseguirá lidar muito melhor com essas situações.
Há muito tempo venho falando que essa violência mundial que está instalada, tem origem da falta de estrutura familiar. Pais muito ocupados, que não tem tempo de brincar com os filhos, de se divertirem, de acompanhar a lição de casa...crianças largadas em frente a TV, videogame e computador, sem vigilância...crianças com acúmulos de tarefas logo cedo, sem ter tempo de brincar...falta de limites...falta de religião...redução do no. de integrantes na família, fazendo com que a criança não aprenda a dividir, a se socializar.
Enfim, vários fatores, que se formos ficar aqui comentando, vc terá que fazer uns 3 posts!
Acho que a conscientização, tem que começar primeiro nos pais, na família.
Posso estar acabada de cansada, mas todo dia chego em casa, tiro os sapatos e sento no chão pra brincar com meu filho, ler histórias, ajudar na lição de casa. Procuro acompanhar sua rotina sempre que possível: almoço, banho, jantar, brincadeiras...me faço presente. E finais de semana, geralmente fazemos passeios que ele gosta.

Fernanda

eu também queria saber disse...

os monopólios (comerciais ou pessoais), cedo ou tarde, acabam pagando um preço. Pode demorar mas nada é para sempre. Quem imaginaria a Gol comprando a Varig?

eu também queria saber disse...

ah, esqueci, sobre o blog...fui em "modelo/personalizar design/atualizar modelo do blog" que permite trabalhar sem aqueles códigos complicados.

Fabiola disse...

EU sou como vc... minha ética é tudo que tenho!!!
A noite quando reflito tudo que fiz no dia... gosto de lembrar que cumpri com meu dever como cidadã. Seja na Matrice, seja nos estudos.