sábado, 7 de julho de 2007

Vinicius de Moraes: Soneto de Inspiração

SONETO DE INSPIRAÇÃO

Não te amo como uma criança, nem
Como um homem e nem como um mendigo
Amo-te como se ama todo o bem
Que o grande mal da vida traz consigo.

Não é nem pela calma que me vem
De amar, nem pela glória do perigo
Que me vem de te amar, que te amo; digo
Antes que por te amar não sou ninguém.

Amo-te pelo que és, pequena e doce
Pela infinita inércia que me trouxe
A culpa é de te amar - soubesse eu ver

Através da tua carne defendida
Que sou triste demais para esta vida
E que é pura demais para sofrer.

(As Coisas do Alto. São Paulo : Companhia das Letras, 1993,p. 101)

As palavras de Vinicius indicam o caminho do verdadeiro e sincero amor, que poderia não ser apenas o amor romântico, mas também o amor fraterno da amizade: Amo-te pelo que és. Sei que estou sendo repetitivo, mas são variações sobre o mesmo tema. Variações que se deram de forma inadvertida...ou seriam meras coincidências?

2 comentários:

K disse...

Oi Renato,

Sobre os chapéus de turfe... os polêmicos e bizarros chapéus do turfe, rsrsrs!
Não tem o porque de pedir desculpas! Eu é que agradeço - e muito - seus comentários!
Tenha um ótimo final de semana!
beijos
K

Edna Federico disse...

Amar pelo que é...é assim que deveria ser, simples, puro e belo.
Vinícius sabia das coisas...