segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Reunião de família

Eventos familiares podem gerar todo e qualquer tipo de reação. Há aqueles onde reina a cizânia, a tensão, a indiferença, a maledicência. Outros há, onde os laços de sangue aproximam as pessoas num espírito cordial e fraterno, de alegria e respeito. Comemorar 90 anos é motivo mais do que suficiente para reunir a família próxima e distante. E motivo para superar implicâncias e diferenças para saudar o aniversariante.

Um tio-avô comemorou 90 anos neste final de semana. Um almoço festivo e agradável, onde parentes puderam se reencontrar. Ele é o mais novo de 4 filhos e sua única irmã viva, com 92 anos estava presente, lúcida, sorridente, vencedora.

Fiquei a pensar em como o tempo passa e como somos premiados com cada dia de vida com que somos presenteados. Um novo dia que começa é antes de tudo um dia a ser escrito e vivido. Será que chegaremos aos 90 anos? Será que chegaremos com saúde aos 90 anos? Não sei e ninguém sabe. Sabemos apenas que temos o momento presente para saborear, sabemos apenas que o presente está a ser escrito e isto afetará o futuro.

Um dia partiremos e ficarão as memórias, as lembranças de bons momentos, dos sorrisos, dos causos e histórias contadas – algumas reais, outras fantasiadas. E os pequenos que ali estavam, vendo o tio-bisavô sorrir, estranharam aquele senhor com o qual convivem muito pouco, e talvez guardem alguma lembrança deste dia. As fotos, porém, congelaram a cena para a posteridade e para manter viva a memória daqueles que são indispensáveis na formação daquilo que cada um de nós é. Carregamos no sangue e no caráter estes traços familiares que passam de geração em geração.

6 comentários:

Edna Federico disse...

Nossa que coincidência...acabei de escrever um post para amanhã sobre um encontro em família que também tive esse final de semana.
Só que, diferentemente do seu, o motivo não era alegre e meus sentimentos bem diferentes.
Fico feliz que você e os seus puderam ter essa oportunidade de um dia tão feliz.

Mariana toda groxxa disse...

olha, eu tenho 22 anos, estou quase a caminho dos 23, faço anos em Fevereiro, eu com 17, 18 anos já me sentia muito crescida ao pé de miúdos e miúdas com 14 anos para baixo, mas "pekenina" ao pé de jovens adultos mais velhos, mas novos, na faixa dos vinte e tal ou até mais. Agora, eu não sei se estou viva lá para o tempo quente de 2008, por exemplo... Agora, eu já convivi com pessoas com mais de 80 anos, de 85, ou de 90. O meu bisavô começou a trabalhar muito cedo, com 16, 17, 18 anos já levava dinheiro pra casa depois de um dia de trabalho árduo. A minha bisavó conheceu-o ai, ela era 4 anos e 2 meses mais velha que ele, ela engravidou dele quando ele tinha uns 20 anos -ela já tinha uns 24, naquela altura, uma mulher ter uns 23 anos e um rapaz 18, 19 era bastante significativo- eles casaram-se, sem ser preciso os pais dele o forçarem. O primeiro filho foi o irmão mais velho da minha avó paterna tem actualmente quase 82 anos, a seguir veio a minha avó paterna que tem 79, a seguir uma irmã que hoje tem 76, e por último o irmão caçula k tem 70. A minha avó só teve o meu pai, q, com a minha mãe, só me tiveram a mim (5 anos antes de mim, a minha mãe teve um aborto espontâneo ao 3º mês de gravidez, se existisse teria agora esse meu irmão 27 anos), a seguir a irmã da minha avó tem 3 filhos entre os 44 e os 55 anos, e 4 netos entre os 16 e os 26 (quase 27, faltam 3 semanas), o irmão mais velho da minha avó, e a mulher, de 81 anos, têm uma filha q faz 57 anos agora nestes dias mais próximos e uma filha a caminho dos 51. A mais velha tem 3 filhos, o mais velho com 30 p/a 31 anos, q tem um filho de 3, e outros 2 filhos, uma de 25 e um de 23 que vivem com ela. O irmão caçula da minha avó tem 70 anos e tem 4 filhos, 2 de cada casamento. Os mais velhos, da primeira mulher (com quase 70 anos) o mais velho tem quarenta e tal, e outro 39, a seguir, da segunda mulher (63 anos) tem uma filha de 34 e um filho com 24 (q é primo direito do meu pai, é primo direito também de uma avó-a mais velha deste núcleo de primos direitos, todos netos dos pais da minha avó paterna- e filho de um tio-bisavô). O filho mais velho do primeiro casamento do irmão caçula da minha avó tem 2 filhas de 17 e 13 anos, e o mais novo do primeiro casamento um filho de 5. A filha mais velha do segundo casamento tem uma relação com um homem de 40 anos, divorciado, com 2 filhos de 11 e 7 anos, é uma espécie de madrasta deles, e a segunda mulher do meu tio avô é avó por afinidade dos miúdos, como o meu tio avô, esses são netos em comum por afinidade.

Mariana toda groxxa disse...

Agora, o meu bisavô, avô materno do meu pai, sempre fez pela vida, nunca esteve parado e sempre foi um homem com interesses alargados, mesmo vindo dos campos alentejanos. Morreu já com 96 ou 97 anos e só não conheceu o bisneto mais novo, de 5 anos nem o trineto de 3 anos agora, q por acaso nasceu no ano do seu centenário. A minha bisavó morreu já perto dos 90 ou mesmo com 90, eu era muito pequenina, ela já teria uns 84 anos quando eu nasci. à minha avó, custou-lhe muito mais a morte da mãe, e mesmo quando o seu pai faleceu, a minha avó já tinha uns 72 ou coisa do tipo. E também conheci os sogros dos meus tios avós, e inclusivamente os pais da primeira mulher do irmão caçula da minha avó paterna, ele morreu com 91 anos, no ano a seguir ao meu avô, e ela morreu com 96 anos, fez agora 1 ano no fim do Verão, já internada num lar, muito velhinha, não estava já em bom estado, mas reconhecia as pessoas. Agora, o meu tio avô tem um sogro vivo, pai da sua segunda mulher, e compadre mais novo dos meus bisavós. A mulher dele morreu de doença cardíaca, aos oitenta e tal, aqui há uns 5 anos mais ou menos, teria feito 90 2 meses antes dele. Organizaram uma comemoração para o senhor, em que compareceu muita gente, e nós fomos convidados, e inclusivamente as miúdas, netas do irmão mais novo da minha avó, adoram esta "avódrasta" (também têm uma bela relação com a avó paterna biológica) e gostam e dão-se bem com o velhinho. Agora, por exemplo, a mãe delas, q é uma mulher ainda relativamente nova q faz 44 anos em Outubro (e as miúdas têm entre elas 4 anos e meio de diferença, a mais velha faz anos em Novembro e a mais nova no fim de Maio), teve uma avó que morreu com noventa e tal anos completamente em mau estado, as miúdas chegaram a conhecê-la.

Mariana toda groxxa disse...

ah, no primeiro comentário, era pra referir que a filha mais nova do irmão mais velho da minha avó tem 2 filhos, 1 de 23 e outra de 19. Bom, mas independentemente dos quadros gerais que eu descrevi, o que se retém é k muitas das pessoas já com estas idades, umas estavam em maus estado, outras internadas, o meu bisavô chegou quase aos 97 anos, também porque sempre foi uma pessoa muito enérgica, eu já não o conheci assim tão enérgico, os filhos e os netos pagaram uma empregada pra tomar conta dele, e ele passava uns tempos em casa de cada filho e de cada filha. Agora, o sogro do irmão caçula da minha avó paterna está pras curvas pra um senhor de 90 anos

carla granja disse...

olá! é a ptimeira vez k te visito , espero k nao te importes:) essas reunioes de familia ,são sempre agradaveis, eu tenho a minha avó materna com 87 anos e ela faz tudo,ela mexe com cartao de multibanco,tlm,têm uma boa conversa e inteligencia não lhe falta e de vez em quando ainda anda em casa das amigas pa fazer as suas fofocas :) se kiseres me visitar és bem vindo como a todos k vierem por bem. o meu blog é com poemas de minha autoria,mas como eu escrevo sobre tudo de algum poema deves de gostar.
bjo
carla granja

Simone disse...

que lindo!