domingo, 9 de setembro de 2007

Álvaro de Campos: De la Musique

DE LA MUSIQUE

Ah, pouco a pouco, entre as árvores antigas,
A figura dela emerge, e eu deixo de pensar...

Pouco a pouco da angústia de mim vou eu mesmo emergindo...

As duas figuras encontram-se na clareira ao pé do lago...

...As duas figuras sonhadas,
Porque isto foi só um raio de luar e uma tristeza minha,
E uma suposição de outra cousa,
E o resultado de existir...

Verdadeiramente, ter-se-iam encontrado as duas figuras
Na clareira ao pé do lago?

(...Mas se não existem?...)

...Na clareira ao pé do lago......

17-9-1929

Álvaro de Campos é um dos heterônimos de Fernando Pessoa e este poema datado foi extraído da edição coordenada por Cleonice Berardinelli de "Poemas de Álvaro de Campos" (Rio de Janeiro : Nova Fronteira, 1999).

A figura dela emerge, e eu deixo de pensar. A clareira ao pé do lago, uma livraria, uma estação de metrô, um café no centro da cidade, um encontro casual. Tanto faz, mas o que seria de hoje se aquele encontro não tivesse acontecido? Encontro que existiu e quando a figura dela emergiu, deixei de pensar e passei a sonhar.

4 comentários:

Kátia Barros disse...

oi Renato,
Como vc achou o Blogterapia? Eu ainda estou formatando, mas lá estou buscando ficar menos mulherzinha e mais prática, menos lugar comum e mais objetiva. Obrigado pela força.

Kátia

Fernanda disse...

É muito bom começar a semana lendo algo tão bonito.
Fiquei pensando na última frase do post e percebi que é isso exatamente que sinto..."quando ele aparece, páro de pensar e começo a sonhar..."
Um encontro pode mudar uma história de vida.
Beijo

Edna Federico disse...

Que lindo, não conhecia.

Fabiola disse...

AI como é lindo!!!
Pq não tenho este dom????
Este texto final e o proprio FP descrevendo o surgimento de Alvaro de Campos né?