quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Vermelho



O vermelho lhe cai bem. Vermelho vivo que tinge as unhas. Vermelho intenso que colore a blusa. Vermelho leve que ruboriza tua face sob a aparência de maquiagem e confunde com o dourado trazido pelo sol.



Na boca, um sorriso simétrico e perfeitamente desenhado. Seu contorno é marcado por lábios pintados e macios.


O colo enfeitado por um colar rutilante, com pequenos detalhes que convidam a um olhar mais atento, um olhar curioso. Ou aparentemente distraído que finge ver o colar, mas disfarçadamente contempla a pele por debaixo do adorno.



Os fios de cabelo que emolduram a face estão presos e repuxados para trás, num estilo casual que deixa alguns fios rebeldes e soltos. Eles revelam o pescoço e os brincos circulares a finalizar o conjunto encantador desenhado com cuidado e precisão. Em uma palavra: linda.


Quem sabe, se ao deparardes com estas linhas, brote um rubor espontâneo, qual uma pimenta dedo-de-moça. Vermelho da cor do sangue. Vermelho que exala intensidade, calor, vida. Vermelho do céu num entardecer de verão. Vermelho de flores e rosas. Vermelho cantado em músicas que embalam a dança.


O vermelho da pimenta dedo-de-moça, vermelho vivo que deixa a pimenta e colore os dedos da moça.

2 comentários:

[ rod ] ® disse...

lembra-me vanessa e seu "vermelho são seus beijos, quase que me queimam..."

vermelho pode ser o suntuoso gosto em tom picante... pode ser a dor de um coração partido... pode, ainda, refletir o doce beijo da mulher amada...

abs meu caro.

poetriz disse...

Vermelho é minha cor.
A única coisa eu odeio, é o rubor.
Esse, denuncia tudo...
Talvez por isso, meu forte nunca foi a mentira.

Bjs!