sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Aos 38


Ouvia, desde pequeno, que é preciso dar importância às pequenas coisas, e que os grandes feitos nada mais são do que uma sequência de pequenas coisas. Uma reta é definida como uma sequência de pontos alinhados. Assim, sucede-se na vida, nas tarefas diárias, no trabalho, na formação de um profissional e de um ser humano. A grande diferença está na finitude. A reta é infinita; a vida finita.

Envelhecer é uma daquelas palavras que traz consigo uma aparente conotação negativa. Diria que há uma repulsa por envelhecer, já que há uma constante propaganda em buscar a eterna juventude. Envelhecer, porém, é algo bom. Não me refiro ao envelhecimento do espírito, mas a maturidade que o passar dos anos traz consigo. Esta maturidade ensinou-me a dar valor a estas pequenas coisas que são os passos necessários para as grandes conquistas. Passos que exigem perseverança, paciência, insistência, constância.

Recentemente completei 38 anos. Abraço, mais este ano, com total serenidade e com uma visão da realidade cada vez mais profunda. Parece que o envelhecimento permite compreender melhor certos gestos, certos acontecimentos. O quebra-cabeça fica mais nítido e as peças começam a se encaixar de forma mais fluida. Não é necessário dizer tudo sobre tudo. Pareço adquirir uma intuição capaz de ler nas entrelinhas, de decifrar enigmas, de ler através do olhar e adivinhar pensamentos, estados de ânimo, aflições.

Simples gestos dizem mais do que mil palavras. Pequenas coisas são tesouros que não podemos deixar passar despercebidos. Fazem-se presente no nosso dia para alegrar e colorir, para mudar a rotina. Foi assim certa vez quando vi uma foto de um vasinho de flores num celular. Era um presente, uma lembrancinha, que estava guardado na memória de quem o ganhou e ficara preservado numa foto. Não era preciso dizer nada; aquele ato singelo transcendia o aparelho eletrônico para dizer muitas coisas...e estas palavras silenciosas, fruto de algo pequeno – apenas na aparência -, irradiavam alegria e sentimento.

4 comentários:

Veridiana Serpa disse...

Renato adorei o post e parabéns atrasado, mas é de coração. Boas vibrações sempre! []'s

[ rod ] disse...

A cada ano completamos um ciclo e a cada ciclo novas experiências. Difícil é prever o quanto de bom e ruim aproveitaremos... o quanto a vida pode nos surpreende ou o quanto podemos nela influir.

Abçs meu caro e mais uma vez, aqui e agora, parabéns aos anos e a sua grande capacidade de escrita.






Novo Dogma:
fluTuar...


dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/

Edna Federico disse...

Uia, fez aniversário, é? Parabéns atrasado, muitas felicidades para você!
Acho que se soubermos encarar o passar dos anos de frente, sem medos e melindres, só temos a ganhar...tem coisas que só ganhamos e aprendemos com o tempo.
Beijo

Fabiola disse...

parabens! atrasado, mas parabaes!