sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

O fim da CPMF

Por incrível que possa parecer, o Senado Federal votou contra a prorrogação da CPMF até 2011. Isto significa que a partir de 1o. de janeiro de 2008, este tributo deixará de incidir. Um imposto a menos e isto é motivo para comemorar.

Não, meus caros, o fim da CPMF não trará o apocalipse como afirma o presidente Lula. O Governo terá agora que fazer o que não fez até agora: governar. Em outras palavras, terá que planejar, terá que implementar o "choque de gestão" propugnado por Lula. Pela primeira este governo terá que enfrentar um problema: a redução de recursos para gastar. Vai ter que economizar e parar de aparelhar a máquina pública e gastar de forma espúria.

Há uma série de pontos positivos nesta votação. Em primeiro lugar, o provisório acabou. Agora sim Lula poderá dizer: "nunca neste país" alguém acabou com o provisório. Estamos fartos de ouvir o discurso de que algo é apenas provisório. E o provisório acaba virando definitivo. Como o rodízio de carros na cidade de São Paulo, o caos aéreo, a crise na saúde brasileira. Torço para que este passo dado, seja o início de uma mudança de mentalidade por parte de nossos governantes. Sou otimista.

A provisoriedade é algo que pode ser comprovado com o Bolsa Família. A função do Bolsa Família é ajudar a retirar famílias da miséria, porém perpetua uma situação de acomodação. Em muitos lugares do país, as pessoas preferem receber o benefício a trabalhar, como todos os demais brasileiros fazem todos os dias.

Em segundo lugar, a arrogância imperial do presidente sofreu um duro golpe. Tenho para mim, que se não fosse o DEM (ex-PFL) - que fez oposição de verdade -, o PSDB teria sucumbido. E lembrem-se, os governadores José Serra e Aécio Neves eram a favor da CPMF e tentaram aprovar a emenda que a prorrogava. O discurso de que a prorrogação da CPMF iria salvar a saúde pública é conversa para boi dormir. Desde a criação da CPMF, o sistema público de saúde em nada melhorou no país. Os recursos da CPMF foram desviados e desvirtuados por vários governos. Não será o caos, pelo menos, não será maior do que já é.

Quem sabe agora o governo não propõe uma reforma tributária efetiva neste país? Quem sabe agora o PSDB não sai de cima do muro e apresenta uma alternativa viável para o país? Quem sabe agora o governo Lula não mostra a que veio?

A vitória foi da sociedade brasileira!

2 comentários:

Carolzita! disse...

Bem... se a CPMF tivesse seu destino proposto pagaria com o maior prazer. Mas já que aqui no Brasil nada proposto se cumpre (bem lembrado no texto quando falas da bolsa família...)veio em boa hora o fim desse imposto!

um beijo

Edna Federico disse...

Eu também vibrei com a votação.
Se bem que sei que iremos pagar de alguma outra forma por isso.
Agora, o Lula dizendo que quem é contra a CPMF é porque nunca precisou ira ao SUS, é a piada do ano!!!!!!
Será que ele sabe em que condições está o SUS?