sábado, 18 de janeiro de 2014

Poesia: SORRISO FUGIDO


SORRISO FUGIDO

A moça levou o sorriso embora
ele se foi, não sei por quanto tempo.
Preferiu fugir com ela
e deixou-me.
Melhor assim
ao menos não foi a morte
que o levou
pois para ela não há remédio.
A moça, quem sabe,
um dia devolve o sorriso.

2 comentários:

André Foltran disse...

Bem disse Oscar Wilde em sua Balada do Cárcere: "A gente sempre mata a coisa amada. Os fortes com uma espada, os covardes com um sorriso..."

Renato Bueloni Ferreira disse...

Bem colocado, André Foltran. Não tinha pensado desta forma, mas é muito verdadeira.